Flor de Laranjeira

Flor de Laranjeira
Aqui sou simplesmente, feliz...

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

D’OURO


Sulcando majestoso e imponente
m muralhas a prumo aprisionado
Espelho de água que serenamente
Na estreita garganta corre ondulado

Escarpadas encostas corta insistente
Na dureza dos contornos sombreado
Violento trajeto que de magnificente
Formosa e faustosamente foi domado

Águias rasgam o céu majestosamente
Ninhos régios no inacessível alcantilado
Histórias vivas salpicando o envolvente

Mitológicas pedrinhas de tom dourado
Nacos de gesta aberta romanticamente
Em paleta de cores ao verde subjugado

Edite Pinheiro
Setembro, 21 / 2012

4 comentários:

  1. Olá, Edite! Já percebi que partilhamos a mesma paixão - o Douro.
    Até já levei as tuas laranjas.
    Belíssimo poema!
    Abração.

    ResponderEliminar
  2. Lindíssimo poema, maravilhoso ambiente.
    Parabéns.

    ResponderEliminar